Na dúvida, salte!

Quando me joguei de um avião pela primeira vez não queria ter asas, apenas muitos segundos para entender onde estava. Sentir o ar empurrando meu corpo não era nada comparado com o real tamanho que me vi ali e lá embaixo. Não era sonho, apesar de tantos voos sonhados. Não tinha asas, apesar de querê-las por muitos anos. Era apenas um ponto em um momento entre o céu e a terra, passando por entre nuvens úmidas e serenas, sorrindo para um silenciar dos bons ventos. E assim retornei à terra, acordado ou enebriado, querendo entender meu mundo antes de compreender alheios. Na dúvida, salte para bons ventos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s